O Grande Desafio

manuel_de_almeida_damásio.jpg

Manuel de Almeida Damásio

Presidente do Grupo Lusófona

Há décadas que muitos líderes políticos, empreendedores de renome, intelectuais afamados e outros responsáveis, vêm alertando para a necessidade de combater o atraso educacional existente nos Países de Língua Portuguesa.​

Os Estabelecimentos do Ensino do “Grupo Lusófona”, seja no Brasil, seja em Portugal, em Angola ou Moçambique, na Guiné-Bissau ou em Cabo Verde, têm como missão pesquisar e investigar para que haja mais conhecimento, mais tecnologias, mais ensino, mais promoção da cultura, das ciências, das artes e das tecnologias, em ordem ao desenvolvimento dos Países e Povos do espaço lusófono.​​

Estamos solidários com todos os que fazem o mesmo que nós; concorrentes ou competidores, temos objetivos comuns: que os países e povos lusófonos sejam tão desenvolvidos como os falantes de qualquer outra língua!​

Para isso é necessário vontade, mobilização dos Estados e de iniciativas oriundas da sociedade civil, respeitar os princípios da liberdade de ensinar e apreender, a livre iniciativa de criar escolas e a livre escolha de estabelecimento educativo. Isto é o que deve ser feito. O resto é com Deus.​

A Universidade Lusófona de Cabo Verde

Missão
Visão
Objetivos Pedagógicos e Sociais

A Universidade Lusófona de Cabo Verde tem natureza privada, sendo uma instituição dedicada à criação, transmissão, crítica e difusão da cultura, ciência e tem por objetivo o ensino, a investigação e a prestação de serviços nos vários domínios da ciência, da cultura e das tecnologias, numa perspetiva interdisciplinar e especialmente, em ordem ao desenvolvimento dos países e povos da língua portuguesa.

A Universidade Lusófona de Cabo Verde pretende ser um espaço de construção do saber e de progressão e evolução dos indivíduos e da sociedade cabo-verdiana.

Revê-se como uma Instituição de Ensino Superior que seja o baluarte da Língua e da Cultura Portuguesa e uma entidade de referência, no espaço Lusófono.

  • A qualidade e valorização do processo ensino-aprendizagem

  • a formação e capacitação dos recursos humanos;

  • a optimização dos recursos materiais e logísticos, bem como das infraestruturas

  • o desenvolvimento do Centro Tecnológico e a integração em redes interuniversitárias, mormente, a nível do Grupo Lusófona;

  • o reforço da comunicação e imagem organizacionais.

Acompanhando o sonho dos primeiros descobridores, o Grupo Lusófona lança-se à conceção de projetos inovadores para a Costa Ocidental Africana, com vista ao desenvolvimento das sociedades e ao aprimoramento dos recursos humanos dessas comunidades, baseando-se num elemento especial, unificador: a Língua Portuguesa.

Em 2007, é fundada a Universidade Lusófona de Cabo Verde, na Cidade do Mindelo, Ilha de São Vicente, inicialmente com pouco mais de 100 alunos, atualmente, mais de 4500 estudantes passaram por esta instituição de ensino superior, dos quais mais de 75% concluíram as respetivas formações e desses 78% encontram-se devidamente integrados no mercado de trabalho.

Ao longo de doze anos, ao serviço do ensino superior e do mercado laboral cabo-verdiano, a ULCV granjeou uma excelente colaboração institucional, estabelecendo parcerias com diversas empresas e organismos estatais, bem como com organizações não-governamentais; estas relações privilegiadas facilitam a obtenção de apoios logísticos, a integração de alunos, em estágios curriculares e profissionais, mas também a divulgação da imagem organizacional.

 Universidade Lusófona de Cabo Verde.

_MG_1121_edited.jpg
Filomena Martins.png

Filomena Martins

 Administradora  da Universidade Lusófona de Cabo Verde

reitor.png

Carlos Alberto Delgado

 Reitor  da Universidade Lusófona de Cabo Verde

José Manuel Tavares

 Vice-Reitor  da Universidade Lusófona de Cabo Verde

23082021-IMG_5059.jpg
logo Lusofona.png